POLO DE TAPEJARA

UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL

30 de nov de 2012

Segundo Sombra

         Alguém já parou pra pensar no gaúcho não como aquele que nasce no Rio Grande do Sul, mas sim o habitante dos pampas? O gaúcho argentino, uruguaio e rio-grandense? O gaúcho é um homem que vive nos pampas, que lida com o gado e que nada possui, além do seu cavalo, de sua roupa, seus trocados e sua honra. Um dos maiores clássicos da literatura argentina e latino-americana, a obra “Dom Segundo Sombra” é um resumo da vida do legítimo gaúcho que vive no campo. 
       Publicado originalmente em 1926, por Ricardo Güiraldes, o livro tem um estilo histórico cultural e busca valorizar o homem dos pampas, resgatando a figura do contador de causos, viajando no universo da cultura gauchesca.  
       "Don segundo sombra" é um típico romance de formação. No princípio da obra o narrador é um rapaz órfão, que mora com duas tias e vive de pequenos trabalhos em uma cidadezinha do interior argentino. Admirado com a passagem do lendário Don Segundo Sombra por sua cidade, decide se tornar um gaúcho, um homem do campo. Don Segundo sombra é um homem sem patrão fixo, que viaja de campo a campo, de estância a estância domando cavalos selvagens, reunindo e tratando o gado, um sujeito identificado com a vida dura no campo, forte, física e moralmente. O livro acompanha as aventuras do rapaz pelo pampa argentino tendo Don Segundo como padrinho. O rapaz muitos conhecimentos de variados tipos, como a geografia e o relevo, com os animais e os homens ele aprende a julgar os sinais do tempo, a aceitar a imensidão dos prados, a se reconhecer na dura lida da vida, a aprender que há fatalidade e destino mesmo na vida simples de seus iguais. Com o tempo torna-se um verdadeiro gaúcho.  
       Muitas são as historias vividas pelo rapaz, como rodeio de milhares de cabeças de gado bruto, as aventuras e os perigos em uma velha estância junto ao mar, ou as histórias de fantasmas e bruxaria contadas por Don Segundo nas noites de paragem.  

A obra “Don Segundo Sombra” foi analisada pelas alunas do urso de Letras – Língua Espanhola, pelas acadêmicas: Dariana Miotto Panisson; Fernanda Milani; Graziela Tais Baggio Pivetta; Marcia Cristina Dias; Marines Parizotto Scariot; Silvia Regina Lindner Urbanski.

Nenhum comentário:

Postar um comentário